Best Cars Web Site
Guia de Compra

Senhora de espírito jovem

Clique para ampliar a imagem

Boa de mercado, a linha atual da Palio Weekend atende a diferentes
públicos com suas versões e mostra uma manutenção acessível

Texto: Luiz Fernando Wernz - Fotos: divulgação

Clique para ampliar a imagem

Clique para ampliar a imagem

A remodelação de 2009 fez bem ao visual da Weekend, mas a versão de entrada ELX, com motor Fire de 1,4 litro, trazia poucos equipamentos

Clique para ampliar a imagem
Clique para ampliar a imagem

O acabamento Trekking usava o mesmo motor, mas com suspensão elevada e pneus de uso misto, como na Adventure anterior à mudança

 

As peruas derivadas de modelos pequenos, nos anos 80 e 90, fizeram a cabeça de muitas famílias brasileiras. Foi nesse período que surgiram Volkswagen Parati, Chevrolet Marajó e sua sucessora Corsa Wagon, Fiat Panorama e Elba. Nessa época a Parati foi líder, com sua publicidade sempre voltada aos jovens, ao contrário das concorrentes, que apostavam num direcionamento mais familiar. Em 1997, a Fiat lançou a Palio Weekend e apostou na receita de publicidade da concorrente de maior sucesso para conquistar de vez a liderança de um segmento do qual sempre foi "lanterninha". E deu certo.

Já houve avaliação da Palio Weekend no Guia de Compra,  mas o foco dessa vez é a atual versão, fabricada desde maio de 2008 (modelo 2009) e que já nasceu na liderança de mercado. Por usar a mesma carroceria básica desde 1997, ela podia ser considerada uma veterana.

De início foram oferecidas três versões. A ELX, com motor Fire de 1,4 litro, vinha de série com direção assistida com volante regulável em altura, faróis de neblina, sistema de configurações, computador de bordo, encosto de cabeça para todos os passageiros e rádio/CD com MP3 e entrada USB. Eram opcionais bolsas infláveis frontais, freios com sistema antitravamento (ABS), ar-condicionado, vidros e travas com acionamento elétrico, rodas de alumínio, sensor de estacionamento traseiro, viva-voz Bluetooth e barras longitudinais no teto. O motor contava com 85 cv quando abastecido com gasolina e 86 cv com álcool.

A inédita versão intermediária Trekking, com mesma motorização e equipamentos da ELX, mantinha a caracterização da Adventure anterior: pneus de uso misto, apliques de plástico nos arcos dos para-lamas e na soleira das portas, suspensão elevada, barras longitudinais duplas no teto.
 
O topo da linha ficava com a Adventure Locker. O bloqueio de diferencial com acionamento elétrico (até 20 km/h) para transpor terrenos mais difíceis, que de início vinha de série, era o motivo do novo "sobrenome". A versão contava com frente exclusiva, apliques de formas retilíneas sobre os arcos dos para-lamas e soleiras, retrovisores com repetidores das luzes de direção, para-choque dianteiro com elementos que sugeririam um quebra-mato, apliques no para-choque traseiro e barras de teto mais elaboradas.

Essa versão já oferecia de série, além do que constava das outras duas, quatro faróis auxiliares (dois de longo alcance e dois de neblina), bússola e clinômetros transversal e longitudinal no topo do painel, rodas de alumínio de 15 pol, ar-condicionado, vidros e travas elétricas e banco do motorista com regulagem de altura. Opcionais eram bolsas infláveis dianteiras e laterais, freios ABS, rádio/CD/MP3 com Bluetooth, faróis e limpador de para-brisa automáticos, sensor de estacionamento traseiro e revestimento dos bancos e volante em couro.

As mudanças visuais da Palio Weekend acompanharam o Palio e o Siena, lançados antes. A lateral passou a contar com vinco na linha de cintura, os vidros laterais traseiros adotaram desenho mais anguloso e os faróis de duplo refletor, sendo o baixo do tipo elipsoidal, foram herdados do Siena. Na traseira, lanternas horizontais compunham o estilo com harmonia.

Por dentro, ELX e Trekking tinham indicador de combustível digital, igual ao do Palio ELX. O painel ganhou revestimento na cor prata na porção central, mas seu desenho básico mantinha-se igual desde 2005. A Adventure Locker tinha em destaque os instrumentos suplementares citados, mas o painel era exclusivo, com fundo na cor prata e marcador de combustível analógico.
 
O ano-modelo 2010 trouxe a novidade da Trekking com o motor 1,8-litro flexível da Adventure Locker. Com 112 cv com gasolina e 114 cv com álcool, melhorou muito a agilidade da versão. Em janeiro de 2010 a Adventure Locker passou a oferecer, como opcional, o câmbio automatizado Dualogic. Mesmo sistema já usado em outros carros da Fiat, era um câmbio manual com operação automatizada, dispensando o pedal da embreagem e permitindo trocas de marchas em modo automático ou manual sequencial.

Avaliações - Página principal - Escreva-nos - Envie por e-mail

Data de publicação: 13/12/11

© Copyright - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados