Menu de navegação


Índice | Próxima

Grêmio, último colocado no Campeonato Brasileiro, demite treinador
15h36 - 03/08/98

Agência JB
Em Porto Alegre

A terceira derrota numa semana, desta vez para o Atlético-MG, pelo Campeonato Brasileiro, derrubou toda a direção de futebol do Grêmio e levou à demissão do técnico Edinho.

O time é o último colocado do campeonato. A decisão foi comunicada ao treinador à 1h da manhã e divulgada oficialmente às 12h30, pelo demissionário diretor de futebol, Duda Kroeff. Além de Duda, pediram demissão o vice-presidente de futebol, Marcos Herrmann, ambos sem nenhuma experiência anterior, e o outro diretor, César Pacheco.

Todas foram aceitas pelo presidente do clube, Luis Carlos Silveira Martins, o Cacalo, que deve acumular, por enquanto, a direção de futebol. Edinho foi o terceiro treinador demitido no Campeonato Brasileiro após duas rodadas. Antes, Eduardo Amorim (América-RN) e Vantuir Galdino (Atlético-MG) foram demitidos.

Edinho foi o quinto treinador do Grêmio em 13 meses, na péssima seqüência desde a conquista da Copa do Brasil, no início do ano passado. O título foi conquistado ainda com alguns remanescentes do rtime construído e comandado por Luiz Felipe Scolari, como Carlos Miguel (hoje São Paulo) e Émerson (Bayer Leverkusen), e que já era dirigido por Evaristo de Macedo.

Foi também o único título de Cacalo como presidente, após conquistar 14 competições em três anos, incluindo um Campeonato Brasileiro e o bi da Taça Libertadores, como vice-presidente de futebol na diretoria de Fábio Koff.

Evaristo comandou a desastrada participação tricolor no Campeonato Brasileiro do ano passado, sofrendo inúmeras goleadas e com o risco de cair para a segunda divisão. Eloy dos Anjos substituiu Evaristo, mas não obteve êxito. Após um técnico provisório, assumiu Sebastião Lazaroni. Contestado desde o início pelos torcedores, Lazaroni foi demitido com a desclassificação tricolor nas quartas-de-final do Campeonato Gaúcho, o que não ocorria há 40 anos.

Desclassificado também na Copa do Brasil, o Grêmio contratou Edinho quando já enfrentava o Vasco pela Taça Libertadores. Um empate com o Vasco foi o único resultado positivo de Edinho como treinador do Grêmio em competiçÎes oficiais, somando-se a quatro derrotas: perdeu para o Vasco, na Taça Libertadores, e foi eliminado; para o River Plate, pela Copa Mercosul; e as duas derrotas no Campeonato Brasileiro, no Gre-nal; e ontem para o Atlético-MG.

A demissão de Edinho estava prevista em caso de derrota. Na sua última entrevista como treinador, após a partida e momentos antes de deixar o estádio Olímpico, no final da noite passada, Edinho disse que está acostumado com "essas situações, como ex-jogador e técnico", diante da possibilidade de ser demitido. "Sou profissional. A gente deve estar sempre preparado para essas situações".

Quanto a pedir demissão, Edinho disse que não o faria: "Se a cada derrota tivesse de pedir demissão, era melhor ficar em casa". Ele preferiu não comentar publicamente as críticas que lhe fez o meia Fabinho, por jogar fora de posição e assim ser substituído. "São questões internas que resolvemos em conversas no vestiário", acrescentou Edinho, que hoje mesmo retornou ao Rio de Janeiro.

A direção do Grêmio se reuniu no final da noite de ontem e madrugada de hoje. O resultado da reunião foi a demissão de todo o departamento de futebol, cujo vice-presidente, Marcos Herrmann, e o diretor Duda Kroeff, no seu último ato oficial, estiveram à 1h de hoje na casa de Edinho, comunicando sua demissão. Além de Edinho, foi demitido também seu assessor técnico, Rubens Galaxie.

Índice | Próxima




 Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Universo Online ou do detentor do copyright.