Diesel: passado, presente e futuro

Clique para ampliar a imagem

Mais eficientes e com menores emissões, esses motores
desenvolvem-se a passos largos no mercado mundial

Texto: Fabrício Samahá - Fotos: divulgação

Clique para ampliar a imagem

Clique para ampliar a imagem

O pedido de patente de Rudolf Diesel, o primeiro carro de produção movido a diesel — o Mercedes-Benz 260 D de 1936 — e seu motor

Eles não usam velas ou sistema de ignição — simplesmente porque não dependem de centelha para a combustão —, são robustos, econômicos e emitem menos dióxido de carbono (CO2) que os motores a gasolina de potência equivalente. Por esses atributos, já são maioria na produção de automóveis em alguns mercados europeus e tendem a aumentar sua participação no futuro. São os motores de ciclo Diesel.

Desde que Rudolf Diesel projetou esse tipo de propulsor, em 1893, houve grande evolução para torná-lo mais eficiente e reduzir suas desvantagens, como ruído e aspereza de funcionamento. Hoje o Diesel está desenvolvido a ponto de equipar carros de alto luxo e até modelos de competição vencedores, como o Audi R10 que ganhou a 24 Horas de Le Mans nos últimos anos. Apesar de proibidos por lei para os automóveis em circulação no Brasil, são motores de tecnologia muito interessante.

Histórico   O engenheiro alemão Rudolf Diesel (1858-1913) projetou em 1893 um motor de combustão interna, cuja patente foi pedida no ano seguinte. Depois de quase morrer quando um protótipo explodiu, ele obteve em 1897 o primeiro propulsor que conseguia queimar combustível sem uma centelha. A invenção que levou seu sobrenome ainda hoje move automóveis, caminhões, navios, locomotivas.

O ciclo Diesel caracteriza-se pela ignição por compressão: o combustível é injetado na câmara de combustão depois que o ar foi comprimido, o que leva o líquido à auto-ignição. Ao contrário do ciclo Otto (motores a gasolina, álcool, gás natural), não existe risco da perigosa detonação ou "batida de pino", pois não há combustível na fase de compressão. Assim, o motor Diesel pode ter alta taxa de compressão, o que aumenta sua eficiência. Suas primeiras aplicações foram em geradores (1902), submarinos (1904) e navios (1912), chegando aos caminhões em 1924.

A francesa Citroën projetou um automóvel a diesel em 1933, mas coube à alemã Mercedes-Benz colocar no mercado o pioneiro 260 D, em 1936. Essa primazia conquistou para a marca muitos adeptos — sobretudo taxistas — pela robustez desses motores e a manteve, durante décadas, à frente da concorrência nessa tecnologia. Outras empresas a entrar nesse mercado foram a Borgward em 1952, a Fiat em 1953 e a Peugeot em 1958. Seria também um Mercedes o primeiro carro a diesel com turbocompressor, o 300 SD de 1978, embora o Peugeot 604 o tenha acompanhado de perto. O turbo atende muito bem ao Diesel por sua imunidade à detonação, de modo que não se precisa reduzir tanto a taxa de compressão quanto ao adotar o sistema em um motor a gasolina.

Outro avanço veio em 1986 com a injeção direta, no Fiat Croma, seguido três anos depois pelo Audi 100 com gerenciamento eletrônico, que trouxe ganhos em desempenho, economia e emissões poluentes. O grupo Fiat voltaria a se destacar em 1997 com a injeção eletrônica de duto único no Alfa Romeo 156, seguida meses depois pela Mercedes com o C 220. Hoje também é comum o uso de filtro de partículas.

Novas tecnologias   Um dos recursos para aumentar a eficiência do motor Diesel e reduzir suas emissões poluentes é a injeção de duto único (common rail em inglês). Trata-se de um sistema de injeção de alta pressão — acima de 1.000 bars e já superando 1.800 bars em alguns casos — que usa válvulas solenóides ou, nos mais modernos, injetores do tipo piezoelétrico e conta com gerenciamento eletrônico. O termo "duto único" vem do acumulador de pressão (que é um só) onde o combustível fica armazenado antes de sua distribuição aos injetores. O resultado é a definição precisa do momento e da quantidade ideal de injeção de combustível pela selenóide ou o injetor, enquanto a alta pressão do sistema resulta em melhor atomização do combustível. Continua

 

Técnica & Preparação - Página principal - Escreva-nos - Envie por e-mail

Data de publicação: 3/3/09

© Copyright - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados