Best Cars Web Site

Estamos no terceiro milênio

Tecnologia avança cada vez mais rápido para facilitar
a vida do motorista, satisfazê-lo e protegê-lo

Texto: Henrique Mendonça - Edição: Fabrício Samahá


Isso mesmo: o temido e quase inatingível século XXI praticamente chegou, sobretudo na indústria automobilística, cujos modelos do novo milênio já estão sendo apresentados. Contrariando previsões de anos ou décadas atrás (
saiba mais), carros ultra-econômicos, levíssimos, com motor a turbina ou elétrico, retrovisores com microcâmeras e desenho em forma de gota não são nossa realidade. Nem por isso o automóvel deixou de evoluir -- e muito.

Foi na parte da eletrônica que desenvolvemos acima das expectativas. Hoje quem dirige um Jaguar S-Type (
saiba mais) comanda rádio, toca-CD, climatização e até controle de navegação pela voz. A bordo de um Jeep Grand Cherokee, a temperatura do ar é determinada automaticamente de acordo com a temperatura do corpo do motorista e passageiro da frente. No Mercedes Classe S, talvez o carro mais moderno do mundo, a porta se abre a partir de um cartão, a suspensão pneumática adapta-se ao tipo de solo e os bancos podem até massagear o motorista para reduzir seu cansaço -- recurso também disponível no BMW Série 7.

Motorista do Jaguar S-Type (esq.) comanda som, climatizador e até navegação pela voz. Mercedes Necar 4 (dir.) mostra o caminho da célula de combustível

Na parte mecânica, carros continuam a ter motores a combustão, cada vez menos poluentes, mais modernos (com quatro ou até cinco válvulas por cilindro, comando de válvulas e coletor de admissão variáveis, injeção direta) e econômicos. Carros a diesel são um sucesso na Europa, e cada vez mais modernos (saiba mais), mas infelizmente não temos acesso a esses automóveis. Já os elétricos mostraram-se um verdadeiro fracasso: são caros, demorados de carregar e fracos -- a Honda até deixou de fabricar seu EV-Plus, considerado inviável. Os fabricantes estudam um sistema mais vantajoso, o das células de combustível, como o Mercedes-Benz Necar 4 desenvolvido a partir do Classe A.

Sistemas de navegação baseados em GPS (sistema de posicionamento global via satélite) indicam o caminho a seguir pela cidade ou estrada, apontando falhas que o motorista cometer com espantosa precisão. Quanto à transmissão, já são comuns os câmbios manuais-automáticos, como o Tiptronic (
saiba mais) e o Selespeed da Ferrari (saiba mais), com os quais se podem trocar marchas sem tirar as mãos do volante. Curiosamente teve pouco êxito a transmissão continuamente variável, CVT (saiba mais). A razão mais provável é a insípida sensação de ganhar velocidade sem que o motor suba de giros ou altere seu ruído.

Sistemas de navegação por GPS (esq.) indicam o caminho com grande precisão. Bolsas infláveis chegam a oito, incluindo as laterais e de janela

O quesito segurança vem sendo priorizado como nunca na história do automóvel. Bolsas de ar já são em número maior que o de passageiros até em modelos de entrada de linha, como o BMW Série 3, que oferece de série seis bolsas e mais duas como opcional. Freios antitravamento (ABS) proliferaram-se pela indústria e permanecem evoluindo -- no luxuoso Mercedes Classe S, o sistema Distronic freia o veículo se o carro da frente estiver muito próximo. Dispositivos eletrônicos de segurança ativa já formam uma sopa de letrinhas: ASC e ASR (controle de tração), DSC e ESP (controle de estabilidade), ADS (suspensão pneumática inteligente), EBD (controle de distribuição da pressão dos freios), e por aí vai...

Técnica & Preparação - Página principal - e-mail


© Copyright 1999 - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados