Best Cars Web Site Pára-brisa

"Se aviso adiantasse,
ninguém levava choque"

A frase do jornalista Octávio Ribeiro encaixa-se
com perfeição a quem fala ao celular enquanto dirige

por Luiz Alberto Pandini

Luiz Alberto PandiniParece que só avisar não adianta. Algumas pessoas precisam se acidentar ou levar uma pesada multa para aprender certas coisas -- como, por exemplo, que não se deve falar ao celular enquanto dirige.

Octávio Ribeiro, conhecido como "Pena Branca", foi um dos mais talentosos e importantes repórteres policiais que o Brasil já teve. Ele praticava o jornalismo de maneira incomum: encontrava fugitivos, entrevistava pessoas que faziam questão de se esconder, desvendava crimes, protegia testemunhas. Muitas vezes, adiantava-se (ou mesmo desmentia) à própria polícia. Tais aventuras, é claro, rendiam excelentes reportagens.

Figura carismática (é o que dizem seus contemporâneos), "Pena Branca" dava muitos conselhos a jornalistas mais jovens -- e sabia que muitas vezes o conselho não era seguido. A respeito disso, disse certa vez uma frase simples e genial, muito própria para quem havia forjado boa parte de sua sabedoria em meio a bandidos e espertalhões de todas as espécies: "Se aviso adiantasse, ninguém tomava choque".

Lembrei de tudo isso porque boa parte dos motoristas brasileiros precisa tomar um choque para aprender certas coisas. Por exemplo: há uma lei que impõe multa a quem dirige enquanto fala ao celular. Mas parece que ela é simplesmente ignorada pelos motoristas e pelas autoridades de trânsito. Resultado: a quantidade de irresponsáveis que dirigem falando ao telefone vem aumentando assustadoramente -- e os riscos de acidente para quem não tem nada com isso também.

Esse assunto não é novo. Várias publicações já trataram do assunto e eu mesmo abordei o tema em uma de minhas primeiras colunas no Best Cars Web Site. Como as coisas, em vez de melhorar, vêm piorando de lá para cá, resolvi voltar ao assunto. Falar ao celular enquanto se dirige significa estar desatento a tudo o que acontece em volta. Pode reparar: enquanto seguram o telefone com as mãos, esses perigos ambulantes dirigem bem devagar, invadem a faixa vizinha, ficam parados quando abre um sinal verde e, muitas vezes, avançam sem cerimônia no sinal vermelho. São, enfim, um perigo no trânsito.

Para quem precisa falar ao celular enquanto dirige, a melhor solução ainda é comprar um viva-voz. Mesmo assim, tome algumas precauções. Quando o aparelho tocar, atenda somente se isso for possível sem desviar a atenção do trânsito, como faria para mudar a estação do rádio. Se for o caso, deixe entrar a secretária eletrônica e espere uma oportunidade (um sinal fechado ou uma parada em um posto de gasolina, por exemplo) para pegar o recado e, eventualmente, retornar a ligação.

Fique tranqüilo(a): ninguém vai perder um negócio importantíssimo ou levar um fora da pessoa amada só porque adiou uma determinada conversa por cinco ou dez minutos. Também tome cuidado durante o bate-papo: conversar sempre distrai um pouco o motorista. A diferença é que, quando o interlocutor está no carro, ele pode chamar sua atenção para um eventual perigo. Isso, evidentemente, não acontece quando a pessoa está no outro lado de uma linha telefônica.

Detesto ter que admitir, mas parece que a única solução para acabar com a atitude de dirigir e falar ao celular ao mesmo tempo é fazer com que o valor da multa por essa infração seja quadruplicado ou quintuplicado (atualmente, está em cerca de R$ 85). Dessa maneira, os (as) motoristas seriam desencorajados a praticar tão insano ato e as autoridades de trânsito, atentas às polpudas arrecadações, passariam a ficar extremamente atentas à ocorrência de tal infração. Bacana, não? Estaria criado mais um tentáculo da "indústria da multa".

Por tudo isso, fica não um conselho, mas um apelo: aja com inteligência e abandone o hábito de falar ao celular enquanto dirige. Parece muito charmoso nos filmes, mas pode ser um desastre (literalmente) na vida real.

P.S. - Não conheci Octávio Ribeiro pessoalmente. Ele morreu (do coração) em 1986 e só entrei na faculdade de jornalismo no ano seguinte. Mas desde adolescente eu lia suas reportagens e gostava muito. Uma curiosidade: "Pena Branca" foi o inspirador do personagem Valdomiro Pena (interpretado pelo ator Hugo Carvana) e da minissérie "Plantão de Polícia", que a Rede Globo produziu e levou ao ar em 1979 e 1980.

P.S. 2 - Fatores diversos (principalmente os compromissos profissionais) me impediram de escrever para o Best Cars Web Site nas últimas semanas. Aos que procuraram minha coluna atualizada e não encontraram, peço desculpas e agradeço a preferência.

Coluna anterior

Colunas - Página principal - e-mail

Correspondência para o autor: pandinigp@yahoo.com