Best Cars Web Site

Carro do Brasil, a história

Encontro de nacionais antigos em Brasília reunirá este
mês raridades como Brasinca, Patinho Feio e Bino

por Roberto Nasser - Fotos: Fabrício Samahá e divulgação
Roberto Nasser

Os automóveis nacionais com mais de 25 anos de produção e conservados como ícones da história, voltam aos dias de glória. Será na segunda edição do Carro do Brasil, evento que envolve colecionadores de todo o país, e realizado em Brasília, DF.

Nesta edição, além de agrupar os 100 Melhores Antigos Brasileiros, a organização preparou duas atrações adicionais, reforçando o preservar a história, os fatos e os veículos que marcaram o caminho na indústria automobilística. Será a reunião de uma dezena de antigos veículos de corrida brasileiros, e o agrupar de quase uma dezena de unidades do Projeto Uirapuru. Pela primeira vez um encontro de veículos antigos reunirá exemplares Brasinca (foto no alto), STV e as versões GT e conversível.

Dentre os esportivos nacionais, uma aula de evolução. Da Carretera -- carro de corrida construído a partir de velhos Ford e Chevrolet dos anos 30, com motores fortemente desenvolvidos com tecnologia gaúcha -- até dois veículos que marcaram as corridas de Brasília: os protótipos do Patinho Feio, e o Bino Mark II. O Patinho, construído por quatro adolescentes de Brasília, fez bonito na corrida de estréia, os 500 Km de Brasília, em 1967. O Bino, que prenunciava o motor do Corcel, venceu os 1.000 Quilômetros de Brasília em 1968.

Do Patinho, o brasiliense Alex Dias Ribeiro fez carreira indo até a Fórmula 1. O Bino venceu conduzido por Luiz Pereira Bueno. Os pilotos, junto com veterano piloto Breno Fornari e ex-chefe da equipe Vemag, Jorge Lettry, farão palestras interativas com o público.

Outros esportivos serão o Fórmula Super Vê do tricampeão Nelson Piquet; o protótipo Fitti Volks, dos irmãos Wilson e Emerson Fittipaldi, o AlfaZoni (foto acima), um Alfa Romeo com carroceria de GT Malzoni; versões deste GT com mecânica Vemag; o Simca Chambord com o qual o gaúcho Breno Fornari -- também o construtor da Carretera -- iniciou sua carreira com carros nacionais.

Dois automóveis de produção restrita serão atrações: o Uirapuru conversível, de apenas três unidades construídas, e o FNM Onça, de um par remanescente.

O evento, por decisão do Conselho da Fundação Memória do Transporte, que o organiza, abriu espaço para três atrações adicionais: uma área para Hot Rods -- automóveis modificados e com motores muito potentes -- e para veículos não-nacionais. E espaço para venda de veículos antigos, forma de facilitar a entrada de interessados no antigomobilismo, termo que define o ato de preservar os veículos antigos.

A Volkswagen comemorará seus 50 anos no Carro do Brasil montando exposição com modelos de 1953, 2ª. Série, o primeiro que montou no Brasil, até o Polo. No estande, a atração do Polo quatro-portas tornado conversível e que transportou o Presidente Lula da Silva nas festividades do cinqüentenário da empresa. Como outras marcas, além dos antigos terá informações e veículos novos.

O Carro do Brasil é considerado o encontro de antigomobilismo melhor organizado do país.

Serviço

- Centro de Convenções Ulysses Guimarães
- 17 a 21 de abril
- Entrada: R$ 5 com direito a catálogo da mostra
- Informações: (61) 225-3000, www.carrodobrasil.com.br

Continua

Colunas - Página principal - e-mail

Data de publicação: 8/4/03