A clássica, reinterpretada

Clique para ampliar a imagem

Depois de 24 anos, a Yamaha V-Max chega redesenhada,
com farta eletrônica e — claro — muito torque à disposição

Texto: Fabrício Samahá - Fotos: divulgação
Clique para ampliar a imagem

Clique para ampliar a imagem

Clique para ampliar a imagem

Clique para ampliar a imagem

Mad Max, Dodge Viper de duas rodas, Schwarzenegger das motos: vários apelidos expressavam a admiração dos entusiastas pela Yamaha V-Max, uma clássica lançada em 1984 e produzida por 24 anos sem grandes alterações. Mas o tempo passa para todos e era preciso modernizar a Max, adequando-a a novos padrões de desempenho, eficiência e comportamento dinâmico.

Disponível apenas na cor preta, a V-Max 2009 preserva da original apenas a proposta e a inspiração de estilo, em que o enorme motor de quatro cilindros em "V" toma conta e parece tornar todo o resto supérfluo. Continuam também as tomadas de ar elevadas junto ao que seria o tanque de combustível (o verdadeiro fica sob o banco). O conjunto foi atualizado, mas sem perder a identidade. Para o piloto, o painel traz apenas o conta-giros analógico: o restante (incluindo cronômetro e indicador de consumo) aparece em um visor digital do tipo eletroluminescente.

No novo motor a cilindrada cresceu de 1.198 para 1.679 cm³, mediante cilindros de maior diâmetro, sem alterar o curso dos pistões. O ângulo entre as bancadas passou de 70° para 65°. A eletrônica agora gerencia não só a injeção de combustível, como também o coletor de admissão variável e o acelerador. Com isso, a potência foi elevada para 200 cv a 9.000 rpm e o torque para 17 m.kgf a 6.500 rpm. Como antes, o câmbio tem cinco marchas e a transmissão final é a cardã, mas agora os pistões são forjados e o silenciador vem em titânio.

Material mais leve também foi usado no quadro, desta vez de alumínio e com distância entre eixos ampliada de 1,59 para 1,70 metro. O que não significa que a V-Max emagreceu: são 310 kg. A suspensão traseira afinal abandona as duas molas, em favor do sistema monomola, e como a dianteira permite várias regulagens. Os grandes freios a disco dianteiros (320 mm) usam pinças radiais; o traseiro é de 298 mm e ambos contam com sistema antitravamento (ABS). As rodas de 18 pol usam pneu 120/70 à frente e um robusto 200/50 atrás.

Os críticos apontavam a V-Max como uma moto insensata, potente demais para sua ciclística. Esta nova geração promete atendê-los e renovar a paixão dos fãs para, quem sabe, os próximos 24 anos.

Clique para ampliar a imagem Clique para ampliar a imagem

Página principal - Escreva-nos - Envie por e-mail

Data de publicação: 7/6/08

© Copyright - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados

Shopping Best Cars