Best Cars Web Site
Guia de Compra

Bem-equipado e acessível

Clique para ampliar a imagem

A linha Peugeot 207 cativa com preço competitivo e farta lista
de equipamentos, mas a manutenção pode pesar no bolso

Texto: Luiz Fernando Wernz - Fotos: divulgação

Clique para ampliar a imagem

Clique para ampliar a imagem

Clique para ampliar a imagem

Clique para ampliar a imagem

Clique para ampliar a imagem

Inspirado no francês, nosso 207 era uma remodelação do 206; a versão XS, nas fotos, vinha com motor 1,6 16V e opção de câmbio automático

O Peugeot 206 já havia sido substituído na França e, após quase uma década de sucesso no mercado brasileiro (leia história) com alterações sutis, também se fazia necessário atualizá-lo por aqui. Segundo a marca, porém, na época importar ou fabricar o 207 francês por aqui o deixaria muito caro. Aproveitando o sucesso do 206 em nosso mercado, julgaram apropriado atualizar seu estilo, com inspiração no europeu, e dar também o novo nome a ele.

Assim, reunindo o que o consumidor médio brasileiro mais leva em conta ao adquirir um automóvel — preço baixo, estilo atualizado e boa lista de equipamentos —, o Peugeot 207 nacional foi apresentado ao mercado em agosto de 2008, com carrocerias hatchback e perua e em três versões: XR e XR Sport, com motor de 1,4 litro e oito válvulas, e XS, com motor de 1,6 litro e 16 válvulas, ambos flexíveis em combustível. Apenas dois meses depois a Peugeot lançava a inédita versão sedã Passion, com as mesmas opções de acabamento e motor.

A versão XR já oferecia de série ar-condicionado, direção assistida e controle elétrico das travas e dos vidros dianteiros. A XR Sport adicionava apenas rodas de alumínio e faróis de neblina. Topo da gama, a XS trazia também faróis, limpador do para-brisa e ar-condicionado automáticos, rodas de 15 pol, freios traseiros a disco, bancos mais envolventes, alarme, computador de bordo, detalhes internos em tom de alumínio e banco traseiro bipartido.

Para essa versão era oferecido um pacote que incluía câmbio automático de quatro marchas com opção de trocas manuais e freios com sistema antitravamento (ABS). A tal conjunto podia-se associar mais um, que trazia bolsas infláveis frontais e laterais e revestimento interno em couro. Ainda havia a opção de rádio/CD com MP3. A versão XS da perua só era oferecida com câmbio automático e ABS. O problema dessa distribuição de opcionais é dar pouca liberdade a quem compra o carro. Não era possível, por exemplo, ter uma SW com motor 1,6 e câmbio manual. Ou então, mais grave, um 207 com câmbio manual não podia contar com a segurança do ABS e das bolsas infláveis.

As três carrocerias apresentavam frente remodelada com novos faróis, para-choque, grade, capô e para-lamas. Na traseira o hatch apresentava novo para-choque, um aplique com o nome da marca na cobertura da placa e nova disposição das luzes nas lanternas, de formato inalterado e comuns ao sedã. A perua só teve alterado o para-choque. Portas e vidros não mudavam. No interior, o 207 recebeu painel com plástico de melhor aspecto e textura, instrumentos maiores e contornos cromados. Os difusores de ar e a tela do computador de bordo tinham novo desenho, mas os painéis das portas foram mantidos.

Não houve alteração de potência nos motores herdados do 206, apesar da central eletrônica revista. Outras mudanças na mecânica eram o sistema de ar-condicionado mais potente e o comando do câmbio — antes feito por varões — substituído por sistema de cabos, tornando as trocas de marcha mais macias e precisas. Na suspensão havia outros amortecedores e geometria revisada. O 207 vinha ainda com isolamento acústico da cabine mais elaborado.

O sedã Passion, medindo 36 centímetros a mais que o hatch, apresentava o mesmo desenho dos demais integrantes da linha até as portas traseiras. Como a distância entre eixos não mudou, o exíguo espaço interno do hatch se manteve no sedã, mas o porta-malas oferecia bem maior capacidade — 420 litros contra 245 do hatch e 313 da perua SW. Ao contrário desses modelos, no sedã o estepe vinha alojado sob o assoalho.

Em dezembro de 2008 a linha 207 ganhava uma nova integrante, a 207 SW Escapade. Com suspensão elevada e pneus de uso misto, típicos de versões aventureiras, a versão era oferecida somente com motor 1,6-litro de 16 válvulas e câmbio manual. Com as mesmas novidades do restante da linha em relação à antiga 206 Escapade, ela trazia apliques na cor prata na parte inferior dos para-choques, faróis com máscara negra, lanternas traseiras com lentes brancas e faróis de neblina com moldura também na cor prata. Continua

Avaliações - Página principal - Escreva-nos - Envie por e-mail

Data de publicação: 10/5/11

© Copyright - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados