Best Cars Web Site
Guia de Compra

O mínimo e um pouco mais

Clique para ampliar a imagem

Simples como o Celta, mas com maior porta-malas e opção de motor
1,4-litro, o Chevrolet Prisma é opção com manutenção acessível

Texto: Luiz Fernando Wernz - Fotos: divulgação

Clique para ampliar a imagem

Clique para ampliar a imagem

Mostrado acima na versão mais simples, a Joy, o Prisma chegava com o interior remodelado do Celta e espaço para até 439 litros de bagagem

Clique para ampliar a imagem

Clique para ampliar a imagem

O acabamento Maxx acrescentava direção assistida e rodas de 14 pol; assim como o Joy, ele ganhou a opção de motor de 1,0 litro em 2009

 

O Chevrolet Celta foi lançado em 2000 com a pretensão inicial de ser o veículo mais barato do Brasil, o que nunca se confirmou. O pequeno popular alcançou sucesso nas vendas, deixou de lado a extrema simplicidade, passou a contar com itens de conforto e... precisou crescer. Nascia então, em outubro de 2006, o Prisma, já com as mudanças aplicadas ao Celta meses antes em sua primeira reformulação.

As linhas gerais do novo sedã tinham inspiração na então nova geração do Vectra, sobretudo na parte traseira, enquanto o desenho do Celta era mantido da frente até as portas. Oferecido de início apenas com o inédito motor de 1,4 litro flexível em combustível, batizado de EconoFlex, que entregava 89 cv usando gasolina e 97 cv com álcool, o Prisma tinha duas versões de acabamento.

O Joy, mais simples, trazia de série apenas itens básicos como ar quente, desembaçador do vidro traseiro, relógio digital e conta-giros. Como opcionais podia receber ar-condicionado e direção com assistência hidráulica. O Prisma Maxx não entregava tanto mais: adicionava somente direção assistida e rodas de 14 pol, além de revestimento interno superior. O único opcional disponível era ar-condicionado. Outros itens, como alarme, comandos elétricos dos vidros e travas das portas, sistema de áudio, rodas de alumínio, sensores de estacionamento, faróis de neblina e apliques estéticos da carroceria, eram vendidos como acessórios em concessionárias.

Tendo mantido a largura e a distância entre eixos do Celta, o interior do Prisma não se distinguia do hatch, reformulado havia pouco tempo. O espaço interno exíguo se manteve no sedã, mas o volume do porta-malas foi bastante aumentado: passou a 439 litros, que podiam aumentar para 829 com o rebatimento do encosto (inteiriço) do banco traseiro. Contudo, as dobradiças do tipo "pescoços de ganso" da tampa sacrificavam o volume útil, além de poder amassar a bagagem. O vão de acesso ao compartimento, estreito, dificultava o carregamento de malas de maiores dimensões.

O painel era o mesmo do Celta 2007. Em relação ao hatch dos anos anteriores, o desenho do interior como um todo estava mais agradável e a seção central destacada do painel acabava com a sensação de "vazio" do painel praticamente plano do Celta antigo, dando um aspecto menos despojado. Agora o marcador de combustível era analógico e havia indicador de temperatura do motor, mas o volante deslocado para a direita permanecia, assim como a intrusão da caixa de roda esquerda no espaço destinado aos pés. No Prisma Maxx havia um console central entre os bancos com porta-copos.

Do lançamento até o fim de 2008, o Prisma teve poucas novidades. As únicas modificações no período foram para a versão Joy, que passou a ter barra cromada na grade dianteira, rodas de 14 pol, espelho no para-sol do passageiro e o mesmo console central da Maxx. Em janeiro de 2009 o Prisma ficou mais potente (em vez de 89 cv com gasolina, passou a desenvolver 95 cv, mas com álcool continuava em 97 cv) e ganhou em torque, embora o desempenho anunciado tenha ficado pior que antes. O tanque passou de 48 para 54 litros. Outras novidades eram acelerador com controle eletrônico, terceira luz de freio (obrigatória por lei) e iluminação do porta-malas.

Dois meses depois, a Chevrolet passou a oferecer o Prisma de ambas as versões com motor de 1,0 litro. Batizado de VHC-E, trazia algumas alterações para entregar mais potência e torque e se enquadrar nas novas normas de emissões poluentes. A última alteração foi em fevereiro de 2011. Já como modelo 2012, o Prisma recebeu nova grade frontal (agora na cor do veículo e com outro logotipo), barra cromada na tampa do porta-malas, retrovisores na cor do veículo e novo acabamento interno.

As versões passaram a ser LS (apenas com motor 1,0-litro), no lugar da Joy, e LT no lugar da Maxx, com motor 1,4-litro. A LS oferecia de série conta-giros, para-sol do passageiro com espelho de cortesia, ar quente, desembaçador do vidro traseiro, relógio digital e console com porta-copos. Os opcionais eram direção assistida e ar-condicionado. A LT tinha algumas diferenças de acabamento interno, novo porta-objetos acima do porta-luvas, travas elétricas, vidros elétricos dianteiros com função um-toque e protetor de cárter. Continua

Avaliações - Página principal - Escreva-nos - Envie por e-mail

Data de publicação: 27/9/11

© Copyright - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados