Best Cars Web Site
Guia de Compra

Pequeno, mas não popular

O Polo sobressai na categoria pelo acabamento, mecânica e
imagem; já o câmbio curto do 1,6 desagrada os proprietários

Texto: Alberto Polo Jr. - Fotos: Renato Araújo

Que tal um compacto que não tenha aquele apelo popular, tão comum no Brasil nos últimos 10 ou 15 anos? E se ainda vier com motores potentes, espaço e bom nível de equipamentos (quase todas unidades à venda contam com ar-condicionado, direção hidráulica e vidros e travas com acionamento elétrico)? Estamos falando do Volkswagen Polo nacional, que já conta com uma oferta razoável no mercado de usados. Seu preço começa em R$ 29.400.

O Polo começou a ser produzido na Europa em 1975 (leia história), mas a chegada desse nome ao mercado brasileiro só se deu no fim de 1996, quando a VW começou a trazer da Argentina o Polo Classic — sedã de traseira alta e curta que compartilhava a plataforma com os Seats Cordoba e Ibiza.

A quinta geração — em sintonia com a que havia sido lançada no ano anterior na Europa — começou a sair da unidade de São Bernardo do Campo, SP em 2002. Produzido apenas na versão hatch de cinco portas e com desenho interessante, com dois pares de faróis arredondados, oferecia espaço interno adequado, bom acabamento e seu porta-malas podia levar 270 litros.

O Polo chegava nas versões 1,6 (101 cv) e 2,0 (116 cv) de oito válvulas, ambas com ar-condicionado e direção eletroidráulica. Além do básico, havia também os níveis de acabamento Comfortline (com ar-condicionado automático Climatronic, rodas de alumínio, computador de bordo, banco traseiro bipartido e terceiro encosto de cabeça traseiro) e Sportline (apenas para o 2,0, com faróis e luz traseira de neblina e rodas de 15 pol com pneus 195/55, além de itens externos na cor da carroceria).

Pouco depois vinha o Polo 1,0 16V, com motor que gerava 79 cv. Com os mesmos equipamentos do 1,6 e versões básica, Plus, Comfortline e Sportline, durou pouco, pois foi lançado ao mesmo tempo em que o governo diminuía o IPI dos carros de até 2,0 litros. Seu preço era quase igual ao do 1,6, embora com desempenho bem inferior em baixa rotação.

No Salão de São Paulo de 2002 estreava o Polo Sedan, com os mesmos motores do hatch e nas versões básica e Highline — que adicionava conjunto elétrico, regulagem de altura e profundidade do volante, entre outros. Seu porta-malas podia levar 432 litros e o estilo da traseira caía bem ao desenho do conjunto. Continua

A versão hatch 1,6 é a mais comum no mercado: bom acabamento, desempenho adequado, linhas agradáveis

Avaliações - Página principal - Escreva-nos - Envie por e-mail

Data de publicação: 12/3/05

© Copyright - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados