Ainda, seu coeficiente aerodinâmico (Cx) era excepcional para a época: 0,355 (embora chegasse a 0,39 com pneus mais largos e tomadas de ar), melhor que o de muitos sedãs médios lançados na década de 1980, como nossos Monza (0,39) e Santana (0,40). O cuidado com o deslocamento do ar era notado ao dirigir sob chuva, em que os vidros laterais e o traseiro conservavam-se limpos. E o curioso é que Claus Luthe, seu projetista (que trabalharia para a BMW nos anos 70 aos 90, no projeto de duas gerações de Série 3, 5 e 7, além do cupê 8), pretendia ir mais longe, tendo afirmado que "tiraram o carro de minhas mãos cedo demais"...

A distância entre eixos muito grande para seu comprimento ajudava na estabilidade em alta e no conforto de rodagem; a aerodinâmica era surpreendente para a época, com Cx 0,355

Por dentro, além da claridade trazida pelos grandes vidros, o Ro 80 oferecia um ambiente espaçoso e bem aproveitado, como pelo piso dianteiro praticamente plano (sem o costumeiro ressalto central), a não ser por uma protuberância ao lado dos pedais. O painel plano trazia os amplos conta-giros e velocímetro em destaque e o volante de três raios tinha grande diâmetro — habitual em carros alemães, pois torna a direção menos sensível a pequenos movimentos, como convém em suas auto-estradas sem limite de velocidade.

Bem-equipado de série, o carro podia ter opcionais de luxo como teto solar com controle elétrico, antena também elétrica, revestimento dos bancos em couro e rodas de alumínio. Embora apareça em fotos do primeiro material que a NSU distribuiu, o painel de madeira foi trocado, nos carros de produção, pelo revestido em material similar a couro, preto. Lá atrás, o porta-malas era enorme, com capacidade declarada de cerca de 590 litros, e ainda podia ser ampliado com o rebatimento do banco, algo incomum em sedãs na época.
Continua

No interior espaçoso do Ro 80, piso dianteiro quase plano, a alavanca do câmbio semi-automático e painel de madeira, que acabou não chegando às unidades de série
Em escala

Um carro alemão marcante como este não poderia ficar de fora da oferta da compatriota Minichamps. A empresa tem o Ro 80 de 1972, em vermelho com interior preto e vice-versa, na escala 1:43, que é sua especialidade. Como toda miniatura da marca, é rica em detalhes e acabamento.

Na mesma escala, a linha de produtos Quattro da própria Audi oferece o modelo da NSU (acima) em cores amarela e azul, ambos com interior preto. Outras opções produzidas no passado foram as da Dinky Toys (vinho), Schuco (prata) e Mattel/Mebetoys (vermelho), todas em 1:43, mas hoje um tanto raras.

Carros do Passado - Página principal - Escreva-nos

© Copyright - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados - Política de privacidade