Consultório de Preparação


por Iran Cartaxo


Voyage 1,8 com turbo e booster: 202 cv


Gostaria de saber como ficaria um Voyage 1.8 a gasolina com turbo a 0,6 kg/cm² . O motor tem 75.000 km originais; rodas aro 15 e pneus 195/50. O que preciso fazer: trocar escapamento, desligar o ar-condicionado? Qual meu ganho em potência? Posso usar mais que 0,6 kg/cm2? Quanto eu gastaria?

Ricardo Pasquotti
pasquotti@br.ibm.com
Sumaré, SP


O uso de turbo para aumentar a potência do motor Volkswagen AP é muito simples atualmente e consiste em uma ótima opção para quem quer preparar seu carro. Pelo alto desenvolvimento de venenos para esse motor no Brasil, há muitas opções de turbo que podem custar desde R$ 1.000 até estratosféricos R$ 15.000, dependendo do aumento de potência e do desenvolvimento que o cliente desejar.

As curvas de potência (as mais altas) e de torque estimadas para o Voyage de 1,8 litro original (em azul), com turbo a 0,6 kg/cm2 (em verde) e com turbo e booster ajustado para 1,2 kg/cm2 (em vermelho)

Clique aqui para ver as curvas de potência e torque ampliadas


A pressão ideal para o motor AP de 1,8 litro, objetivando uso de rua, está entre 0,4 kg/cm2 e 0,8 kg/cm2. Abaixo dessa faixa o ganho de potência com o turbo não justifica seu custo, e acima disso a potência fica muito alta para o tráfego do dia-a-dia. A pressão de 0,6 kg/cm2 é ideal para o uso comum, pois o ganho de potência é sensível, mas não tão alto a ponto de dificultar o controle em arrancadas mais fortes ou prejudicar em muito a vida útil do conjunto mecânico. Um motor AP que tenha recebido os cuidados normais de utilização e manutenção deve conservar boas condições de preparação aos 75 mil km.

Existe um recurso para quem quer utilizar um carro turbo no dia-a-dia, sem deixar de contar com mais potência em caso de necessidade: o booster. Esse equipamento é nada mais que uma válvula solenóide que altera a regulagem da válvula de alívio, responsável por limitar a pressão máxima do turbo. Com esse artifício pode-se atingir pressões de até 1,2 kg/cm2 sem necessidade de reforços nas partes internas do motor, pois tal pressão só será (ou deveria ser) usada poucas vezes e por curtos períodos de tempo.

O problema do booster está exatamento no abuso de alguns usuários, que gostam da sensação de elevação de potência e passam a utilizá-lo com uma freqüência inadequada. O abuso pode causar sérios danos ao motor, que não está preparado para entregar tanta potência por tanto tempo e tantas vezes. Mas usado com critério o booster é uma boa opção. Por isso simulamos para seu caso um motor com turbo e intercooler, primeiro regulado para 0,6 kg/cm2, e depois com o booster acionado elevando a pressão para 1,2 kg/cm2. Confira o desempenho estimado:

  Original Turbo a
0,6 kg/cm
2
Booster a
1,2 kg/cm
2
Potência máxima 86 cv 143 cv 202 cv
Rotação de potência máxima 5400 rpm 5400 rpm 5400 rpm
Velocidade máxima 167 km/h 197 km/h 221 km/h
Rotação à velocidade máxima 5040 rpm 5980 rpm 6700 rpm
Aceleração de 0 a 100 km/h 11,2 s 6,9 s 5,4 s
Torque máximo 14,5 mkgf 24,2 mkgf 34,1 mkgf
Rotação de torque máximo 3000 rpm 3000 rpm 3000 rpm
Alongamento recomendado na relação de transmissão - 10,7 % 24,2 %
Aumento recomendado na injeção de combustível - 50,0 % 100,0 %
Aceleração longitudinal no interior do veículo 0,56 g 0,93 g 1,31 g
A margem de erro é de 5% (para cima ou para baixo), considerando-se instalação bem-feita. Calculamos a aceleração de 0 a 100 km/h e a aceleração longitudinal máxima (sentida no interior do automóvel) a partir da eficiência de transmissão de potência ao solo do carro original. Para atingir os resultados estimados pode ser necessária a recalibragem da suspensão, reforços no monobloco e/ou o emprego de pneus mais largos. A velocidade máxima estimada só será atingida com o ajuste recomendado da relação final de transmissão. Os resultados de velocidade são para velocidade real, sem considerar eventual erro do velocímetro. A rotação à velocidade máxima é calculada considerando a relação atual de transmissão.
Algoritmo de simulação de preparação de motores desenvolvido pelo consultor
Iran Cartaxo, de Brasília, DF.


A instalação do turbo não requer a retirada do ar-condicionado. Existem kits turbo para uso em carros com o equipamento, mas são mais difíceis de achar -- então surgiu a lenda de que é necessário retirar o ar para colocar o turbo. Como é muito fácil achar equipamento para preparação dos motores AP, é improvável que você tenha dificuldade de achar um kit turbo compatível com o ar-condicionado.

Para a pressão de 0,6 kg/cm2 é muito recomendável a troca do sistema de escapamento por um de maior capacidade de exaustão. Isso vai permitir que seja dada vazão ao maior volume de gases produzido pelo motor com turbo e otimizar o funcionamento da turbina.



Volta ao Consultório de Preparação

Volta à página principal


© Copyright 1998/1999 - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados