Best Cars Web Site

Carro e padrão de dívida

Dúvida cruel: será que o modelo que eu
comprei "combina" com o quanto eu ganho?

por Luís Perez

Não é à toa que um dos ídolos deste colunista é Woody Allen. Poucos retratam as digressões do pensamento de uma forma tão assumidamente neurótica como o cineasta norte-americano. Algumas questões – muitas delas existenciais – que para as pessoas “normais” são aritméticas provocam em pessoas assim um estado de sofrimento muitas vezes incompatível com o tamanho do problema.

Uma que consumiu parte da minha adolescência (justamente a idade em que se está, enfim, habilitado a tirar carteira de motorista e comprar o primeiro automóvel) foi a seguinte: até que ponto o carro que escolhi combina com meu padrão de vida, com o quanto eu ganho, com o dinheiro que entra todo mês na minha conta?

Claro que a preocupação a princípio é legítima: não engrossar as estatísticas de inadimplência no comércio. Em um país cuja taxa de juros é uma das maiores do mundo, sempre achei um acinte lojas de departamento irem à TV alardear que cobram “apenas” 6% de juros ao mês e ainda acrescentar: “E nada mais”. Já reparou que a poupança dá menos de 1%?

Nessas casas de produtos populares, vender a prazo tornou-se um grande negócio. Não se ganha com o comércio, mas com o financiamento. Só divulgam o preço à vista porque a lei manda. Do Plano Real para cá (ou seja, já há dez anos), as classes C e D passaram a ter acesso a bens de consumo que antes só apareciam em seus sonhos, como TV de grande porte, microondas e até DVD. Sabe como? Fazendo a conta: se a prestação cabe no mirrado salário mensal, então vou levar!

Com automóveis não é a mesma coisa. Pesquisa apurada por este colunista no último ano indica que 70% dos automóveis são adquiridos por algum tipo de financiamento. Ou seja, se comprou um veículo tendo de recorrer ao banco, respire aliviado. Você faz parte da maioria. É, portanto, “normal”. Mas atenção: 95% dos compradores de automóveis zero-quilômetro estão nas classes A e B.

Outro dia, o diretor de um instituto de pesquisas me contou que está sendo necessário rever os critérios de avaliação socioeconômica, antes definidos por itens como quantidade de rádios, lavadoras e secadoras de roupas etc. em casa. Fato é que, quando se compra um carro, não basta verificar se a prestação cabe no bolso. É preciso contabilizar licenciamento, seguro, IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), combustível, estacionamento e a indefectível manutenção. Esses gastos, aliás, surpreendem. Foram inclusive tema de uma coluna algum tempo atrás.

Cansado de ver gente com salários gordos comprando carros 1,0-litro simplesmente porque são econômicos e funcionais e pés-rapados com modelos que custam acima de R$ 50 mil, fui questionar um diretor da Audi. À época (coisa de um ano atrás), o consórcio de um A3 custava R$ 1.500 por mês. Segundo ele, para adquiri-lo era preciso ter uma renda de R$ 6.000 e ser solteiro. Vale dizer que a legião de solitários representa 30% dos que compram automóveis novos – 40% são casados, e 24%, separados. Quase um terço (32%) tem entre 35 e 44 anos, 25%, entre 25 e 34 anos e 19%, entre 45 e 54 anos. A maioria (68%) trabalha em período integral. Continua

Roda e avisa
Marasmo - Os próximos meses prevêem poucos lançamentos. Em um mercado complicado, as fábricas estão guardando munição para o Salão de São Paulo, que acontece em outubro.

Aventura 1 - Neste ano a Adventure Sports Fair acontece entre 7 e 11 de agosto, no pavilhão da Bienal. A feira foi antecipada em razão das comemorações dos 450 anos de São Paulo, no mesmo local.

Aventura 2 - Em vez de começar em uma quarta-feira, a Sports Fair terá início em um sábado. Assim os organizadores esperam um público mais profissional para os outros dias da semana. Outro objetivo é tornar mais sofisticado o teste dos produtos.

Relíquias - O tradicional encontro de carros antigos que acontece toda terça-feira no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, comemora neste dia 22 sua centésima edição. O evento reúne cerca de 400 raridades toda semana e é realizado desde abril de 2002.
 
Shopping
Multimídia - A Stetsom acaba de lançar o amplificador CD5500T. Com cinco canais de saída e seis entradas, é recomendado para uso em conjunto com sistemas multimídia. Preço sob consulta.

Nós na fita - A 3M está lançando a fita Autocrepe, desenvolvida para processos de mascaramento nas oficinas de funilaria e pintura. Terá quatro opções de medida: 15mm x 50m, 18mm x 50m, 24mm x 50m, 48mm x 50m. Chega ao mercado sob a marca Scotch.

Colunas - Página principal - Escreva-nos - Envie por e-mail

Data de publicação: 22/6/04

© Copyright - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados