Best Cars Web Site
Carros do Passado

A versão de topo era chamada apenas Landau. O motor, importado do Canadá e o mesmo do Maverick, de geração mais nova, representava novo aumento de cilindrada, para 302 pol3 (4.949 cm3), passando a 199 cv e 39,8 m.kgf e melhorando sobretudo o desempenho em baixa rotação. Com câmbio manual chegava a 160 km/h e acelerava de 0 a 100 em 13 s; com transmissão automática, 150 km/h e 15 s. Pneus radiais 215/70-15 e rodas mais largas, opcionais, traziam maior segurança, assim como o duplo circuito de freios.

Em 1976, as maiores alterações de estilo: faróis em linha horizontal, placa deslocada para a esquerda, lanternas traseiras com seis retângulos. O prata Continental tornava-se em 1978 a cor padrão do Landau

Pouco foi modificado nos anos seguintes. Em 1978 ganhava um volante de quatro raios, mais agradável ao toque, e o Landau vinha em cor única prata Continental metálico, com teto de vinil no mesmo tom. No ano seguinte a ignição eletrônica substituía os velhos condensador e platinado, aprimorando o funcionamento do motor e reduzindo um pouco o consumo. O ar-condicionado passava a ser integrado ao painel e o Galaxie 500 era eliminado, restando as versões LTD e Landau, este apenas com câmbio automático.

Para 1980 o motor 302 era oferecido a álcool, opção comemorada por muitos, por representar economia palpável ao abastecer o enorme tanque de 107 litros, em que pese o consumo bem maior com o combustível vegetal. O chamado azul Clássico, muito elegante, era agora a principal cor do Landau. A fechadura do porta-malas ganhava comando elétrico, a suspensão traseira recebia um estabilizador e os cintos dianteiros passavam ao tipo retrátil de dois pontos, embutido nas colunas centrais. Nos pára-lamas traseiros surgiam pequenas lanternas laterais.

O motor 302, de 4,95 litros, melhorava o desempenho do Landau, que em 1980 passava a vir na cor azul Clássico e em versão a álcool

No ano seguinte eram adotados os de três, junto de suspensão recalibrada e novas pinças de freio; em 1982 as luzes de ré eram incorporadas às lanternas e encerrava-se a produção do LTD. Em 2 de abril de 1983 chegava ao fim também o Landau, depois de 77.850 unidades produzidas entre todas as versões. O consumidor comum não mais podia comprar o carro oficial de autoridades governamentais e preferido pelos altos executivos.

No entanto, até o final da década a Ford continuava a receber tentativas de encomendas, por fiéis e conservadores clientes que não encontravam sucessor nos "carrinhos" -- como o luxuoso Del Rey da própria marca -- dos anos 80.

Ficha técnica
_ LTD Landau (1971) Landau (1977)
MOTOR
Posição e cilindros longitudinal, 8 em V
Comando e válv. por cilindro no bloco, 2
Diâmetro e curso 95 x 83,8 mm 101,65 x 76,2 mm
Cilindrada 4.785 cm3 4.949 cm3
Taxa de compressão 7,8:1 7,7:1
Potência máxima bruta 190 cv a 4.600 rpm 199 cv a 4.600 rpm
Torque máximo bruto 37 m.kgf a 2.600 rpm 39,8 m.kgf a 2.400 rpm
Alimentação carburador de corpo duplo
CÂMBIO
Marchas e tração 3 (manual ou automático), traseira
FREIOS
Dianteiros e traseiros a tambor a disco / a tambor
DIREÇÃO
Assistência hidráulica
RODAS
Pneus 7,70-15 8,25-15
DIMENSÕES
Comprimento / entreeixos 5,33 m / 3,02 m 5,41 m / 3,02 m
Peso 1.730 kg 1.780 kg
DESEMPENHO câmbio manual câmbio automático
Velocidade máxima 160 km/h 150 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h 13 s 15 s

Página principal - Escreva-nos

© Copyright - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados