Best Cars Web Site
Apresentação

Um Cadillac para os jovens

Estilo ousado, mecânica européia e até testes
em Nürburgring para deixar o CTS como eles gostam

Texto: Felipe Cavalcante Bitu - Edição: Fabrício Samahá - Fotos: divulgação

O tempo passa e algumas coisas continuam inalteradas, praticamente imutáveis. Mas, em um mundo onde as coisas mudam cada vez mais rápido, um fenômeno interessante acabou acontecendo. Um fenômeno chamado Cadillac.

A marca norte-americana, uma divisão da General Motors, é reconhecida no mundo todo pelo requinte de seus automóveis. Por outro lado, a cada ano que passa a média de idade dos clientes Cadillac é mais alta, sendo representada a cada ano por um número menor de consumidores -- fenômeno similar ao que acabou levando uma das divisões mais antigas da GM, a Oldsmobile, a fechar as portas. Para o público jovem, os Cadillacs passam a imagem de carros de aposentados.

As linhas cheias de arestas derivam dos últimos carros-conceito da Cadillac, como o Vizón, o Imaj e o roadster Evoq -- este em vias de ser produzido como XLR
Clique para ampliar a imagem

Em busca de um público mais jovem, mas que aprecia o que há de melhor no mercado de carros de luxo, a Cadillac apresentou o novo CTS, pronto para concorrer com rivais como BMW, Mercedes, Jaguar, Audi, Volvo e Lexus. Com 4,8 metros de comprimento e linhas inspiradas nos carros-conceito Evoq, Imaj e Vizón, foi apresentado no encontro de antigos de Pebble Beach, na Califórnia, EUA, como a mais nova sensação da marca.

Um dos principais objetivos da Cadillac é apagar o fracasso do Catera, o Opel Omega alemão vendido nos EUA como um verdadeiro "baby Caddy". A empresa esperava vender 30 mil Cateras por ano, mas em cinco anos de mercado foram pouco mais de 100 mil. A marca percebeu então que o estilo europeu não precisava estar no novo carro -- apenas as qualidades intrínsecas aos modelos projetados para as autobahnen sem limite de velocidade.

As linhas do CTS destacam-se entre os carros da concorrência, tornando este Cadillac um membro legítimo de uma marca sempre caracterizada pela beleza e ousadia das linhas. Cheio de personalidade, parece uma interpretação moderna dos clássicos que elevaram o status da empresa norte-americana, como os faróis na vertical, herança dos Cadillacs fabricados a partir de 1965, e a grade do radiador, muito semelhante aos modelos da década de 30.

Clique para ampliar a imagem Para apagar o fracasso do Catera, nada mais que um Omega europeu, a marca recorreu a uma nova plataforma com tração traseira, aprimorada em testes no autódromo alemão de Nürburgring

Outra característica marcante é a denominação do carro: mostra a integração da Cadillac com os mercados do mundo todo, acostumados a siglas alfanuméricas para designar os automóveis. A Cadillac, famosa por nomes como Eldorado, DeVille e Seville, passou a adotar recentemente outras designações, como STS para a versão Seville Touring Sedan, o CTS e o futuro roadster XLR (saiba mais).

Como atrativos, o CTS traz a novíssima plataforma Sigma, com tração traseira, abolida pela Cadillac desde 1993 (salvo o Catera, não um "legítimo" Cadillac), mas que retorna para garantir comportamento mais esportivo; e até mesmo um câmbio manual de cinco marchas -- para o espanto do tradicional consumidor Cadillac --, fabricado pela renomada marca alemã Getrag. Complementando o conjunto, ainda há o Stabilitrak, controle de tração e estabilidade (saiba como funciona), além dos sistemas antitravamento (ABS) e de distribuição eletrônica de pressão entre os eixos (EBD) nos freios. Continua

Atualidades - Página principal - e-mail

© Copyright 2001 - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados